NÃO QUERO SER MÃE, E DAÍ?

90
Na época da sua ou da minha mãe, raras eram as mulheres que não tinham filhos por opção. Ou a mulher tinha filhos ou ela tinha vontade mas não conseguiu tê-los.
Nos dias de hoje, em quase todas as rodas de amigas tem alguma mulher ou algum casal que optou por não ter filhos.
Escolheu não tê-los.
Seja por se sentirem completos, seja por sentirem suas vidas cheias a ponto de não caber um (ou mais) pequeno ali, seja porque a vida profissional satisfaz a ponto de não sentir nenhuma vontade. Escolha consciente.
Há quem julgue estas mulheres. Muitos dizem não serão felizes, outros comentam que se arrependerão com o passar dos anos e aí pode ser tarde demais para mudar sua escolha.
A maternidade no primeiro e segundo anos de vida de um filho, traz às mulheres muitas mudanças. Mesmo para as mulheres que desejaram ser mães, se programaram, curtiram a espera, passam por tudo isso, se questionam e sentem muitos altos e baixos.
Imagine então o que sente uma mulher que nunca quis ser mãe, não desejou a gravidez e ela simplesmente foi imposta pela sociedade?
Esta cobrança de que toda mulher tem que ser mãe para ser completa ou está fadada à infelicidade é muito fria ao não entender que ser mãe é muito difícil sim e cada mulher tem total possibilidade de escolher sobre sua vida.
Cada uma das escolhas feitas sempre tem lados positivos e negativos e a mulher tendo consciência dos dois lados, consegue fazer sua escolha de forma mais tranquila e equilibrada, seja escolha individual ou do casal.
Para você que escolheu ser mãe ou a que está tentando engravidar ou a você que escolheu não ser mãe, um grande abraço e curtam suas escolhas.
O importante é o respeito e ser feliz cada um da sua maneira.
Um abraço,
Mariana Volf
@mariana_volf
Consultora de amamentação